Banner
Buscar:

Notícias Portal CFM, em 01.07.2022

Imprimir PDF
Voltar

Defesa do ensino médico é destaque da edição

Está disponível na plataforma eletrônica Publicações CFM a edição nº 327 do jornal Medicina. O boletim destaca o trabalho realizado pelo Conselho junto ao Ministério da Educação pela revogação da Portaria MEC nº 343/22, que permitia a expansão de vagas em cursos de medicina no Brasil. Após atuação do CFM e da Frente Parlamentar da Medicina, que sensibilizaram o governo quanto às implicações da norma na formação médica e na qualidade do atendimento à população, a norma foi revogada.

A publicação também detalha a Resolução 2.314/22, que regulamenta a telemedicina. Tendo como pilares, a segurança, a privacidade e o consentimento; a norma estabelece a telemedicina como o “exercício da medicina mediado por Tecnologias Digitais, de Informação e de Comunicação (TDICs).

Palavra do presidente – O atendimento médico a distância foi uma das mudanças provocadas pela covid-19 e uma análise sobre o futuro pós-pandemia é o tema do artigo de autoria do presidente do CFM, José Hiran Gallo. No texto, o diretor fala sobre as reflexões a respeito do futuro da saúde após o fim da pandemia de covid-19, promovidas durante o IV Encontro Luso-Brasileiro de Bioética e I Encontro Ibero-Americano de Bioética. Os eventos promovidos pelo CFM nos dias 8 e 9 de junho, em Belo Horizonte (MG) reuniram especialistas o Brasil e da Europa.

Sobre a maior crise sanitária da história do Brasil, o editorial do presidente do CFM ressalta: “mais do que nunca é preciso avaliar o que aconteceu e o que está acontecendo. Isso vai permitir à sociedade avançar, corrigir rumos e aperfeiçoar seus caminhos”, aposta o diretor do Conselho.

A medicina abre caminhos – Outro destaque da edição é a nova campanha nacional lançada pelo CFM e Conselhos Regionais de Medicina (CRMs) sobre o futuro da profissão e da saúde no País. Iniciada no Dia Mundial da Saúde, por meio das redes sociais e mídias digitais, na ação, a autarquia ressalta que a medicina abre caminhos para que todos tenham uma vida plena e defende melhores condições de atendimento para a população.

Confira todas essas informações na nova edição do jornal Medicina. ACESSE AQUI.


CFM realiza consulta pública sobre a Resolução 2.113/2014

O Conselho Federal de Medicina (CFM) abre nesta sexta-feira (1º) o processo de consulta pública para colher sugestões visando a atualização da Resolução nº 2.113/2014, que trata do uso compassivo do canabidiol para o tratamento de epilepsias da criança e do adolescente refratárias aos tratamentos convencionais.

As contribuições podem ser feitas por médicos e entidades médicas através de uma plataforma eletrônica desenvolvida especificamente para esse objetivo e que está em funcionamento até 20 de março de 2022.

CLIQUE AQUI PARA ACESSAR A PLATAFORMA DA CONSULTA

Na plataforma, o interessado poderá informar sua opinião sobre cada um dos artigos da Resolução. Para participar, deverá informar seus números de CRM e de Cadastro Nacional de Pessoa Física (CPF), além de indicar o Estado no qual fez seu registro profissional.

Após acessar a ferramenta e preencher esses dados, será gerado um código de autenticação. Ao introduzir o número no campo indicado, o usuário será automaticamente conectado ao sistema, tornando-se apto a apresentar propostas de alteração ou manutenção de artigos.



CRM-AP recebe visita do presidente do CFM e de parte da diretoria da autarquia federal 

O Conselho Regional de Medicina do Estado do Amapá (CRM-AP) recebeu na terça-feira (28/06) o presidente do Conselho Federal de Medicina (CFM), José Hiran da Silva Gallo e parte da diretoria da autarquia federal. José Hiran veio acompanhado do 1º vice-presidente, Jeancarlo Cavalcante; da 2ª vice-presidente Rosylane Nascimento das Mercês Rocha; do 2º tesoureiro, Carlos Magno Dalapicola; da secretária geral, Dilza Ribeiro e do 1º secretário, Hideraldo Cabeça.

A atuação dos médicos do Amapá durante os momentos mais críticos da pandemia de Covid-19 foi elogiada pelo presidente do CFM e pela presidente do CRM-AP, Maria Teresa Renó. “No começo da pandemia tínhamos poucos leitos no Amapá. A UTI do Hospital de Clínicas Dr. Alberto Lima estava interditada pelo CRM-AP pela falta de estrutura. Mas a classe médica, entre os colegas: o conselheiro federal pelo Amapá, Marco Túlio foram incansáveis diante do desconhecido”, disse.

A história do Amapá e das instituições públicas de saúde do estado também foram apresentadas aos conselheiros pelo tesoureiro do CRM-AP, Renato Borges, bem como, o trabalho desenvolvido em diferentes setores do regional. O tesoureiro lembrou da fundação da Conselho no Amapá, quando a instituição funcionava em uma sala dentro do Hospital de Clínicas Dr. Alberto Lima (HCAL); das conquistas dos últimos anos e dos projetos para que a casa do médico tenha mais conforto e modernidade para receber os profissionais.

O Presidente do CFM, em sua fala final da plenária, agradeceu a receptividade e ressaltou está muito feliz com a visita ao CRM-AP acompanhado de parte da diretoria do Federal. “Aqui é uma casa cheia de amor e de fidelidade com a Medicina. Contem comigo para honrar a medicina brasileira”, finalizou José Hiran da Silva Gallo.

Participaram da plenária, além dos conselheiros, o presidente da Associação Médica Brasileira – Regional Amapá, Mauro Secco.

Visita – Como parte da programação ao Amapá, a diretoria do CFM visitou na (29/06) o Hospital Universitário de Macapá – AP. Os conselheiros foram recepcionados pelo médico e superintendente do HU, Aljerry Rêgo e pelo gerente de Ensino e Pesquisa do HU, José Carlos Tavares.

Na oportunidade foram apresentados como serão a logística e atuação dos profissionais no Hospital. Onde serão os leitos, ambulatórios e o cronograma até o início dos atendimentos.

A presidente do CRM-AP, Dra. Maria Teresa lembrou que apesar dos atendimentos no Hospital estarem programados para iniciarem em setembro, o HU já surgiu salvando vidas. “Pois foi utilizado durante a pandemia de Covid-19 e vai continuar fazendo diferença. Contem com o CRM-AP”, ressaltou Dra. Maria Teresa.


Nota Explicativa: redes sociais do CFM no período eleitoral

08Em respeito à legislação, informamos que durante o período eleitoral serão excluídos das redes sociais do Conselho Federal de Medicina (CFM) comentários e manifestações que compreendem publicidade promocional e menções a candidatos e gestões governamentais. Não serão aceitas mensagens promocionais, ofensivas ou inverídicas relacionadas a qualquer candidato.

Neste período, os conteúdos das postagens do CFM serão restringidos à prestação de serviços ao cidadão, com caráter educativo, informativo ou de orientação social.

Segundo a Resolução nº 23.674/2021 do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), o período eleitoral no ano de 2022 se inicia em 2 de julho e termina em 2 de outubro, podendo ser estendido até o dia 30 de outubro, para o caso de eventual segundo turno.

Fonte: Portal CFM, em 01.07.2022.